8/3/09

La Que Guía


'She Who Leads' - Nicholas Roerich

12 comentarios:

Lúcia Brito dijo...

Gostei. Muito.
:)

jfm dijo...

No podía fallar. No podía dejar de gustarte.

Lúcia Brito dijo...

Mas postou pensando em mim?
Claro que ao ver lembrei das coisas que vc vê em mim - e do fato de eu me proclamar uma dakini espertinha, hehehe.
Sabe, na verdade nem me vejo como uma dakini. Apenas sei que tenho essa energia em mim, como todos os seres têm o potencial de buda. Então, mesmo a qualidade estando muito obscurecida nessa vida, ela existe - e por que não citá-la? Melhor do que ficar olhando para outras qualidades menos favoráveis (e mais visíveis, hehehehe).

jfm dijo...

Claro que te tengo en cuenta al publicar. Esta imagen siempre ha sido muy especial para mí desde que la ví la primera vez, y me dice muchas cosas que yo no sé repetir ni expresar. Tienen que ver, explicado muy rudimentariamente, con que hay una sola cosa que yo he de saber y una única sabiduría que he de tener, que como practicante espiritual inicial he de seguir siempre fuertemente cogido a las faldas del Guía Espiritual, o de la Dakini que él me envíe, como un niño pequeño a las faldas de su madre, y no soltarme nunca. Es muy sencillo. Muy perfecto para mí.

Hay una versión digamos 'diurna' o clara del mismo artista con el mismo título, pero esta versión nocturna, oscura, me gusta mucho más. Si tú sigues o miras a tu naturaleza de Buddha, como dices, yo te puedo seguir o mirar a tí tranquilamente, no hay ningún problema. Es bajo mi responsabilidad, quiero decir que si nos vamos al precipicio, no te demandaré.

Lúcia Brito dijo...

Você me diz alguma das coisas mais interessantes que alguém já me disse nessa vida. E você ou desperta a dakini em mim, ou então a mais absoluta irresponsabilidade. Porque me sinto totalmente confortável com o fato de vc me admirar - embora eu nem veja o que haveria de admirável em mim em termos budistas. Quer dizer, além do fato de todos os seres terem a natureza de buda etc. Mas me vejo em um estágio muito elementar, ou seja, não creio que eu pudesse ser sua dakini. Mas isso é o que eu penso. O que eu sinto é: "Oh, sim, sim, ótimo, perfeito. Tudo muito bem."
Hahaha, também pensei que eu possa estar indo para o precipício e, se você me seguir, despencar comigo. Mas apenas pensei. Não sinto isso. Sinto uma total confiança em mim mesma e nos meus caminhos, no sentido de que não há nada para me preocupar. Nem que caia no precipício. Estará tudo muito bem.
Está sempre tudo muito bem. E fica melhor com você por perto. Ainda mais num dia como hoje, em que estou na praia com minha mãe, me sentindo muito entediada e tolhida na minha liberdade de fazer o que quiser.
Um dia espero que me escreva o que exatamente ligou você a mim. Em detalhes. O que você viu.

jfm dijo...

Somos principiantes, y yo creo que todavía es muy pronto para mí para que el Guía Espiritual me dé una Dakini en el plano físico. No obstante, como estas cosas están más allá del funcionamiento y de las apariencias 'normales', no puedo decir tampoco que no. Sabemos que imaginando que ya poseemos las buenas cualidades que deseamos poseer creamos la causa de manifestar estas cualidades. Imaginando que el Guía Espiritual me presenta una Dakini, o imaginando tú que el Guía Espiritual te presenta como una Dakini a un practicante para ayudarle, creamos la causa para que esto suceda en realidad, en lo físico, aunque mientras tanto sea sólo una idea.

Lúcia Brito dijo...

Tudo brota da mente. Tudo é uma questão de visão.

jfm dijo...

Es verdad que todo sale de la mente, y que todo depende de la visión de uno. Pero en cuanto a mantener visión pura, estarás de acuerdo en que en mi caso hay bastante espacio para mejorar. Y en cuanto a que todo sale de la mente, hay que seguir haciendo una distinción entre las formas que aparecen sólo a la percepción mental que son 'fuentes de fenómenos', y las formas que son 'fuentes de formas' y que aparecen también a las percepciones sensoriales, como la vista, el oído, el tacto y demás. Aunque las dos existen, no son lo mismo. ¿Estás también de acuerdo en que esta distinción merece ser tenida en cuenta?

Lúcia Brito dijo...
Este comentario ha sido eliminado por el autor.
Lúcia Brito dijo...

Sim!
Eu estava me referindo às formações mentais mais abstratas, às coisas que quero manifestar e que desejo ver manifestas, mas que ainda não existem "de fato" (num sentido mais convencional).
Quanto aos fenômenos sensoriais, tento sempre manter uma visão mais límpida, no sentido de que minha visão é apenas minha, que os outros podem ver de modo totalmente diverso. E que essa minha visão é limitada, e pode mudar a qualquer momento, porque os fenômenos não têm os atributos que estou imputando a eles. Ou seja, estou tentando fluir pelas experiências, o que ainda não acontece com a facilidade que desejo - e que já estou projetando em minha mente.

Lúcia Brito dijo...

Eliminei o comentário porque tinha escrito errado. Corriji.

Lúcia Brito dijo...

Enfim, creio que posso dizer que tento manter uma visão de mim e de minha mente como algo "em construção" e em transformação permanente. Eu quero me tornar uma coisa que de momento está além de minha compreensão, eu tenho uma idéia muito falha e limitada, mas estou trabalhando para aprimorar essa idéia, e assim fazer com que se manifeste. O que eu acho benéfico hoje pode estar ultrapassado amanhã.